RJ: MC é encontrado morto; polícia suspeita que criminosos se passaram por garotos de programa

Um telefone celular perdido em um posto de combustíveis na Zona Sul do Rio de Janeiro foi a peça fundamental que levou a Polícia Militar do Rio de Janeiro a chegar até os quatro homens suspeitos de matar o funkeiro Paulo César da Silva, o MC G3. Por meio dele, os suspeitos trocavam mensagens sobre o crime.

“Fazer o bagulho rápido, ‘se pá’, não pega vários bagulhos não. Só os ‘ouro’ e o dinheiro. Entra no carro e vem, filho. Tu ‘traz’ o videogame”, afirmou um dos criminosos. Segundo o G1, eles ainda combinaram uma transmissão ao vivo para ver o fruto do crime na casa do cantor. Antes de matarem o MC, os criminosos roubaram um táxi na Zona Norte. Eles ainda tentaram assaltar o posto na Zona Sul. Na fuga desse crime, eles deixaram para trás um celular. A partir da análise do aparelho, agentes conseguiram localizar os quatro em uma residência próxima ao Morro do Dendê, na Ilha do Governador.

Nesse local, foram apreendidos três menores, e um maior de idade foi preso. Também foram encontrados os pertences do cantor, cartões de crédito, telefones celulares, um videogame e a arma usada no crime. Em seu twitter, a PM informou que “os marginais trocavam mensagens onde falavam do assassinato” do MC. A polícia também investiga se os suspeitos entraram na casa do MC se passando por garotos de programa. A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) da Polícia Civil investiga o caso.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!