Oito maneiras que as empresas brasileiras podem ser aliadas da comunidade LGBTQ+

Foto: Dio Verino

O influenciador Dio Verino criou uma lista com oito dicas que as empresas podem adotar para serem aliadas da comunidade LGBTQ+!

Em post nas redes sociais, ele chama atenção para o fato de que muitas empresas se posicionam durante o mês do Orgulho e mostram todo o seu amor e apoio.

Porém, além dessas ações, o que mais pode ser feito para que se tenha uma inclusão genuína de todas as pessoas que trabalham nelas?

1️⃣ Ter uma área de diversidade e inclusão na estrutura de Recursos Humanos, junto a alta liderança executiva e presidência da empresa.⁣

2️⃣ Garantir uma cultura que todas as pessoas LGBTQIA+ se sintam bem, para “saírem do armário” e falarem abertamente de suas histórias pessoais no dia a dia sem se sentirem ameaçadas como uma barreira no seu desenvolvimento de carreira.⁣

3️⃣ Além de não ser uma empresa discriminatória, o que já é excelente, ir além e dar empregos a pessoas trans que é uma das mais marginalizadas da comunidade. Na Brasil, por exemplo, há o Trans Empregos que pode servir de ponte para aumento da representatividade.⁣

4️⃣ Fomentar ações internas para garantir uma cultura inclusiva a comunidade LGBTQIA+. Por exemplo, dar treinamentos e palestras de sensibilização para todas as pessoas da empresa sobre conceitos LGBTQIA+. O que significa cada letra da comunidade, qual a diferença entre orientação sexual e identidade de gênero?⁣

5️⃣ Garantir que os benefícios dos casais heterossexuais se estendam aos casais homoafetivos. ⁣

6️⃣ Nas ações externas, como ações de marketing e representatividade na mídia, pensar em representar as pessoas que atuam na empresa e a comunidade LGBTQI+⁣

7️⃣ Usar linguagem agênera nos comunicados oficiais da empresa para abraçar a não-binaridade.⁣

8️⃣ Informar-se em como obter o selo de participante do Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+, o mais importante fórum de diversidade.
⁣⁣

Confira o post original de Dio Verino

Ver essa foto no Instagram

Muitas empresas se posicionam durante o mês do Orgulho LGBTQIA+ nas redes sociais e mostram todo o seu amor e apoio. Isso é ótimo! Porém, além dessas ações, o que mais pode ser feito para que se tenha uma inclusão genuína de todas as pessoas que trabalham nelas? ⁣ ⁣ 1️⃣ Ter uma área de diversidade e inclusão na estrutura de Recursos Humanos, junto a alta liderança executiva e presidência da empresa.⁣ ⁣ 2️⃣ Garantir uma cultura que todas as pessoas LGBTQIA+ se sintam bem, para "saírem do armário" e falarem abertamente de suas histórias pessoais no dia a dia sem se sentirem ameaçadas como uma barreira no seu desenvolvimento de carreira.⁣ ⁣ 3️⃣ Além de não ser uma empresa discriminatória, o que já é excelente, ir além e dar empregos a pessoas trans que é uma das mais marginalizadas da comunidade. Na região sudeste, por exemplo, há o Trans Empregos que pode servir de ponte para aumento da representatividade.⁣ ⁣ 4️⃣ Fomentar ações internas para garantir uma cultura inclusiva a comunidade LGBTQIA+. Por exemplo, dar treinamentos e palestras de sensibilização para todas as pessoas da empresa sobre conceitos LGBTQIA+. O que significa cada letra da comunidade, qual a diferença entre orientação sexual e identidade de gênero?⁣ ⁣ 5️⃣ Garantir que os benefícios dos casais heterossexuais se estendam aos casais homoafetivos. ⁣ ⁣ 6️⃣ Nas ações externas, como ações de marketing e representatividade na mídia, pensar em representar as pessoas que atuam na empresa e a comunidade LGBTQI+⁣ ⁣ 7️⃣ Usar linguagem agênera nos comunicados oficiais da empresa para abraçar a não-binaridade.⁣ ⁣ 8️⃣ Informar-se em como obter o selo de participante do Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+, o mais importante fórum de diversidade.⁣ ⁣ Quais empresas vocês indicam como exemplos de inclusão e diversidade? ⁣ ⁣ Deixem nos comentários 🏳️‍🌈⁣ ⁣ ⁣ ⁣ ⁣ ⁣ ⁣ #gaybrasil #gaysp #gaybrasileiro #gaycarioca #lgbtbrasil #orgulholgbt #comunidadelgbtqia #gaynordeste #gaybrasilia #homemtrans #mulhertrans #lesbicalizei #lesbicasbrasil #homofobianao #homofobiaecrime #naobinario #naobinarie #naobinaridade #identidadedegenero #orientacaosexual #direitoslgbt #forumdedireitoslgbt #representatividade

Uma publicação compartilhada por Dio Verino 🏳️‍🌈 (@dio.verino) em

VEJA + NO PHEENO TV

Thiago Araujo é editor-chefe e criador do Pheeno! Referência no cenário pop LGBTQIA+ nacional, o carioca de 30 anos é jornalista e empresário do ramo do entretenimento, além de agitar as pistas como DJ mundo afora!