Lutadores de jiu-jitsu criam gangue para recrutar e espancar LGBTs pelas ruas do Rio

O jornalista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, usou sua coluna nesta terça-feira (01/12) para denunciar a existência de um grupo de lutadores homofóbicos para espancar LGBTs pelo Rio de Janeiro. PASMEM!

Segundo o jornalista, um internauta tem usado as redes sociais para mandar mensagens privadas convocando pessoas a se unirem ao grupo de “agressão e repressão a gays nas ruas do Rio”. Nas mensagens, o homofóbico destaca ainda que procura por “pessoas que saibam bater”. Com os prints das mensagens em mãos, Cláudio Nascimento, coordenador do Grupo Arco-Íris, abriu um boletim de ocorrência na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância.

Nas redes sociais, internautas se mostraram indignados com a iniciativa criminosa dos homofóbicos. “É preciso combatê-los antes que vire uma moda mortal no país do ódio, do extremismo e do preconceito”, comentou no Twitter o deputado estadual Carlos Minc (PSB / RJ). “Tá muito difícil viver neste país. O silencio mata, frase usada na luta contra AIDS (1° de dezembro) se aplica também aqui. O silêncio conivente do legislativo, judiciário e da grande mídia“, disse outro seguidor.

Já um outro internauta lembrou de um caso parecido que aconteceu no Brasil nos anos 90. “Pitboys se reuniam para arrumar confusão em boates, em praias, etc. Geralmente com indivíduos mais fracos. Só resolveu, quando os ‘lutadores’ identificados começaram a sair na mídia ligados às suas academias e mestres“, explica ele. “Usem esse modus operante“, alertou. Que absurdo! Cuidem-se, pessoal!

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!