Parada de Porto Alegre será bancada por multa do Santander pelo fechamento da exposição Queermuseu em 2017

Olha que notícia maravilhosa! Segundo reportagem do UOL, parte da multa pelo fechamento da exposição Queermuseu em Porto Alegre, em 2017, vai custear a Parada Livre LGBTQ+ deste ano e das edições de 2022 e 2023 na capital gaúcha. Tudo, né?!

De acordo com o portal, ao todo serão destinados R$ 50 mil por edição da Parada, totalizando R$ 150 mil. A indenização foi estabelecida em acordo entre o Santander e o Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul (MPF-RS) de R$ 400 mil, que já foi paga pelo banco. O restante dos recursos será destinado a projetos na área dos direitos humanos.

Na ocasião, a mostra foi cancelada pelo Santander Cultural um mês depois da abertura, devido a protestos de grupos conservadores que consideraram o conteúdo imoral, ofensivo e incentivador da zoofilia e da pedofilia. A exposição acabou ocorrendo no Rio de Janeiro quase um ano depois. O MPF entendeu que o encerramento da exposição Queermuseu impactou negativamente “tanto em relação à liberdade artística, quanto em relação à diversidade”.

Em outubro de 2019, 18 entidades diferentes ao MPF solicitaram o uso de R$ 150 mil para a Parada. Em fevereiro de 2020, o Procurador da República Enrico Rodrigues de Freitas aceitou o pedido e observou que a utilização do dinheiro no evento “beneficia toda a coletividade LGBTI+, principal grupo afetado em razão do encerramento da exposição Queermuseu“, escreveu o representante do MPF.

O evento presencial foi cancelado no ano passado devido à pandemia do coronavírus, mas as entidades que o organizam já se preparam para a edição em 2021, que ainda não tem nada para acontecer.  

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!