Casal alega transfobia após não conseguir registrar filho por conta de nomes trocados em certidão

Um casal que mora em Jaraguá do Sul, região Norte de Santa Catarina, fez um Boletim de Ocorrências na quinta-feira (04/02) para denunciar uma situação de transfobia após o nascimento do filho. Segundo informações do G1, a unidade de saúde entregou uma certidão preenchida errada, o que impede a família de registrar o bebê.

O pai Derick Wolodascyk, um homem trans de 24 anos, foi quem deu à luz ao filho. No entanto, o nome dele foi escrito no campo da mãe no documento entregue pelo hospital. Já o nome de Terra Rodrigues, de 23 anos, que é a mãe do bebê, foi escrito no local designado para o pai. O nascimento da criança aconteceu no dia 26 de janeiro no Hospital e Maternidade Jaraguá. Em entrevista ao G1, a advogada do casal, Ana Cristina Cunha Rodrigues, disse que os dois não tiveram os nomes e as identidades de gênero respeitados. “Desde o momento que eles pisaram no hospital, eles não tiveram os nomes sociais respeitados. Foi um desrespeito essa questão do documento“, afirmou a advogada.

Além de registrar um boletim de ocorrência como crime de injúria, o casal deu entrada a um mandato de segurança para garantir o registro do bebê. Derick e Terra também estudam a possibilidade de processar o hospital. Em nota, o Hospital e Maternidade Jaraguá esclareceu que segue as exigências do manual de instruções para preenchimento da declaração, proposto pelo Ministério da Saúde. “As equipes da maternidade e da assistência social do hospital prestaram todo o atendimento ao casal e ao bebê, inclusive realizando o encaminhamento do casal à Promotoria do município, que deverá prestar auxílio à família. O hospital está à disposição para esclarecer as dúvidas“, afirmam.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!