Produtor de novo álbum dos Mamonas Assassinas revela que consultou LGBTs para poder relançar “Robocop Gay”

Lançado no último sábado (27/08), o álbum digital “Very Crazy” traz novas versões das músicas cantadas pelos Mamonas Assassinas, banda que foi vítima de um acidente aéreo fatal em março de 1996. Entretanto, segundo o produtor David Gomes, uma das faixas mais polêmicas e irreverentes do grupo, “Robocop Gay”, precisou da aprovação de membros da comunidade LGBTQIA+ para poder ser incluída no projeto.

“Nossa intenção foi fazer um versão eletrônica para as pistas de dança, divertida e livre de preconceitos, mantendo o espírito alegre dos Mamonas. Como o tema da canção é bastante sensível, apresentamos o trabalho para diversas pessoas do segmento LGBTQIAP+, e todos aprovaram o resultado”, conta David ao Extra. As faixas remixadas do álbum também contaram com a aprovação do produtor oficial da banda na época, Rick Bonadio, e dos familiares dos membros da banda.

Além de “Robocop Gay”, clássicos como “Vira Vira” e “Pelados em Santos”, sendo que este último contou com a voz do funkeiro Buchecha e MC Koringa, que a transformaram num jazz, com piano, instrumentos de sopro e coro.

Confira

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!