Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás investiga homofobia em mensagens de militares

O Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás (CBMGO) investiga homofobia em troca de mensagens entre militares de Luziânia, município do Entorno do Distrito Federal. O caso ocorreu no domingo (17/10), em um grupo de WhatsApp extraoficial composto apenas por militares da corporação. Com informações do Correio Braziliense.

Na conversa, os envolvidos falam sobre uma cama com dois travesseiros juntos que teria sido deixado por um dos integrantes do batalhão, dando a entender que dois homens dormiram juntos. No grupo, uma pessoa diz que “o pessoal que saiu de serviço deixou umas roupas de cama” e que caso o dono não apareça, terão que desfazer a cama. Na sequência, começam os comentários em tom homofóbico.

Pra conversar falando baixinho, normal”, diz uma pessoa, se referindo aos travesseiros próximos. “É muito amor envolvido”, falou outro integrante do grupo, seguido de figurinhas de risadas. Outro militar se queixa: “na época que eu trabalhava aí, não tinha disso“. Logo após, outros bombeiros mandam figurinhas em tom preconceituoso ou de chacota, e falam sobre “masculinidade”. Segundo informações do Correio Braziliense, militares de diversas patentes participaram da conversa, como cabo, soldado, sargento e até um subtenente.

Em nota, o Corpo de Bombeiros disse que “não coaduna com qualquer tipo de comportamento discriminatório”. “O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) informa que a corporação irá abrir procedimento para investigar a denúncia”, informaram os militares.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!