Casal denuncia homofobia em bar no Centro de Fortaleza; dono nega ter agido por preconceito

Um casal gay afirma que foi vítima de homofobia após se beijar em um bar localizado na Praça Visconde de Pelotas, onde fica o Mercado dos Pinhões, no Centro de Fortaleza, na noite do último sábado (11/12). Segundo o casal, o proprietário do bar teria afirmando que a “atitude” não seria aceita no local, um lugar de “família” e “de respeito”.

Em entrevista ao jornal O Povo, uma das vítimas, que preferiu preservar sua identidade, disse que estranhou o atendimento assim que chegou ao local. “Foi muito diferente das outras vezes que nós fomos lá, acompanhados de amigos”, disse. “Logo após darmos um beijo, o dono passou do nosso lado e começou a nos agredir verbalmente”, afirma. “Eu fiquei olhando só para o rosto do meu namorado, não conseguia olhar nem pro rosto dele (do dono do local). Foi um preconceito e uma discriminação descarada”. O casal agora vem se organizando para formalizar a denúncia, com auxílio de uma advogada.

Procurado pela reportagem, José Braga de Lima, dono do Bar do Cazuza, onde o casal teria sofrido homofobia, negou ter agido por preconceito. De acordo com ele, os homens estavam masturbando um ao outro. “Vários clientes me chamaram atenção no que eles tavam fazendo. Se beijando, até aí tudo bem, e pegando nas calças um do outro e se masturbando um com o outro. Aí eu fui lá para avisar, disse ‘rapaz, faça isso não, é cheio de criança, senhora’”, afirma. O casal rebate a versão e um dos homens disse que chegou apenas a colocar a mão na coxa do namorado.

Para a publicação, José negou ter preconceito com o público LGBTQIA+. “Até porque as pessoas que trabalham comigo, todas três são mulheres que gostam de mulher. Eu tenho um filho que é. Tenho preconceito com nada não”, afirmou. “Nem me alterei com ele, nem fui mal educado. Eu sou cheio de clientes assim, nunca tive problema com nenhum. Eu errei, era para eu ter chamado a polícia logo”, concluiu.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!