Vereador de Taubaté pede “perdão” por comentário LGBTfóbico: “Esse não é meu papel”

O vereador de Taubaté, Boanerge dos Santos (PTB), que está em seu segundo mandato consecutivo, aproveitou a primeira sessão do ano na Câmara, na última terça-feira (01/02), para pedir desculpas por um comentário homofóbico que fez na última sessão do ano passado, realizada no dia 14 de dezembro.

Sem querer, sem intenção também é pênalti“, disse Boanerge. “Esse não é meu papel, não estou aqui para afrontar ninguém”, acrescentou. “Eu não sou isso. Vim aqui pedir perdão“, concluiu ele. O comentário homofóbico aconteceu quando a Câmara aprovou uma moção de repúdio à direção do Sesc (Serviço Social do Comércio) de São Paulo pela promoção de um curso com o tema “A infância LGBTQIA+ no Cinema. A moção havia sido assinada por quatro vereadores, dentre eles Boanerge, Alberto Barreto (PRTB), Marcelo Macedo (MDB) e Vivi da Rádio (Republicanos). “Quer arranhar o azulejo? Depois da maioridade, tudo bem, mas fazer isso com as crianças?!”, disse o vereador, em tom de deboche.

Em seguida, a vereadora Talita Cadeirante (PSB), que votou contra a moção, criticou o comentário de Boanerge“Eu sou uma mulher lésbica e eu exijo mais respeito quando a gente for falar da comunidade LGBTQIA+ aqui dentro [da Câmara]. Eu me sinto desrespeitada e, é justamente pelas piadas que eu escuto aqui em plenário, que eu escuto aqui em tribuna, que tem criança sofrendo”, afirmou.

Em junho de 2019, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a homofobia e a transfobia como crimes de racismo — desde então, praticar violência verbal, física ou sexual contra pessoas LGBTQIA+ é crime hediondo, inafiançável e com pena de dois a cinco anos de prisão. Denuncie!

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!