Jovens estão se identificando mais como “queer” em vez de rótulos como “gay” ou “lésbica”

A Geração Z (com idade entre 18 e 26 anos) está agora rejeitando cada vez mais rótulos binários como “gay” e “lésbica” em favor de rótulos mais fluidos como “queer”, segundo uma série de novos estudos. Uma análise realizada pela Business Insider e YouGov descobriu que 5% da Geração Z se identificou como Queer, em comparação para 1% da Geração X (nascidos entre 1965 e 1981) e da Geração Millennials (todos aqueles nascidos entre 1981 a 1995).

Mais pessoas da categoria da Geração Z estão se identificando como bissexuais em comparação com outras gerações também, com 13% se autodenominando bissexuais, em comparação com 7% dos Millennials e 4% da Geração X. Apenas 1% dos Baby Boomers (pessoa nascida entre 1945 e 1964) se identificaram como bissexuais e menos de 1% da geração Boomer disse que era gay.

Em entrevistas ao Business Insider, vários membros da Geração Z explicaram porque preferem usar rótulos mais fluidos como Queer, com um entrevistado afirmando que rejeitou vários rótulos porque traziam expectativas e suposições sobre como ele deveria se comportar. Frederic Chen, um criador de conteúdo de 22 anos de Los Angeles que se identifica como Queer, disse ao canal: “Continuei vendo vídeos que diziam: ‘Lésbicas fazem isso, gays fazem isso e bissexuais fazem isso’. Parecia que a sexualidade estava sendo mercantilizada e as pessoas atribuíam estética a certas sexualidades“.

Phillip Hammack, professor de psicologia e diretor do Laboratório de Diversidade Sexual e de Gênero da Universidade da Califórnia, Santa Cruz, disse ao Business Insider: “Não sabemos realmente, do ponto de vista das ciências sociais, se realmente há mais pessoas bissexuais, por exemplo, na geração de hoje. Pode ser que mais pessoas, em geral, se sintam mais confortáveis ​​em ser francas e abertas. Particularmente entre os membros da Geração Z, há essa abertura para o queer… Ela inclui basicamente qualquer pessoa que esteja desafiando o pensamento cisgênero, hétero ou heteronormativo.

Em um debate sobre a palavra “Queer” organizado pelo portal inglês de notícias Pink News, uma pessoa na casa dos 50 anos escreveu: “Quando eu era criança, isso significava uma coisa totalmente diferente. Sair e apanhar regularmente por causa de críticas a homossexuais ficou em minha mente por anos, assim como perder o emprego porque eu sou gay. Alguns nunca perderão o significado da palavra, enquanto outros a abraçarão“. Outro abraçou o termo como “inclusivo”, dizendo: “Adoro. Dizer que sou gay é muito mais fácil do que explicar meus vários rótulos e é realmente inclusivo.”

VEJA + NO PHEENO TV

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!

Felipe Sousa

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!

Você vai curtir!