Médico é filmado discutindo com casal de lésbicas: “Gay, se pegar, tem que matar”

medico-gay-matar-goiania-lesbicas (1)

Um casal de lésbicas registrou ocorrência no 1º Distrito Policial denunciando agressões verbais contra as duas por parte de um médico, em um posto de combustíveis na Praça Cívica, no Centro de Goiânia, na madrugada de quarta-feira (15/06).

“Veado, gay, se pegar, tem que matar. O mundo não é pra isso, as aberrações, esquece isso”, diz o homem na gravação feita por Angélica Santana, de 27 anos, e publicada em sua rede social. Nas imagens, o médico pneumologista Ricardo Dourado tenta convencer o casal de que ser homossexual é algo “anormal”.

Em entrevista ao “G1”, Angélica conta que estava no quiosque do posto de combustível com a namorada, a turismóloga Giovana Alves, de 36 anos, e uma amiga quando foi abordada pelo médico. Ela relatou que ele ofereceu bebida a elas e chegou a passar a mão nas costas dela. Quando a namorada pediu que ele parasse, ele se deu conta que elas eram um casal e partiu para ofensas gravadas em vídeo.

Para o portal, o médico confirmou a discussão no local e argumentou que se manifestou porque o casal estava “se exibindo”. Dourado disse que não se lembra exatamente o que falou porque tinha bebido cerveja e estava com “ânimos exaltados”.

O médico ainda disse que não considerou sua atitude como crime, pois ele teria sido provocado. Por fim, ele ameaça entrar na Justiça contra Angélica pela veiculação do vídeo nas redes sociais.

Confira…

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!