Militante transexual é vítima de transfobia por parte de funcionário em hospital na Bahia

paulett-transfobia-hospital-bahia

A transexual e militante da causa LGBT Paulett Furacão foi mais uma vítima da transfobia! O caso acontece na manhã dessa segunda-feira (05/09), na Unidade de Pronto Atendimento da Saúde Dr. Hélio Machado, no bairro de Itapuã, na Bahia.

Segundo Paulett, enquanto esperava pelo atendimento, um dos funcionários a chamou pelo nome civil, mesmo ela tendo preenchido a ficha com seu nome social. “Ele chamou meu nome civil umas quatro vezes e não fui. Ao me dirigir para ao serviço de triagem, vi que meu nome social havia sido rasurado na ficha”, disse Paulett ao site “Dois Terços”.

14225558_1447715141912055_2340458008741475176_n

“Questionei a assistente social se ela tinha rasurado meu nome, a mesma disse que não tinha sido ela, então solicitei a minha ficha e ela falou que só o médico poderia me dar a ficha, mas na sala da médica que me atendeu, ela me tratou pelo meu nome social. Então solicitei a ficha e fotografei”, continua. Paulett conta que chegou a pedir para falar com o diretor do hospital, mas recebeu um “não” do mesmo funcionário que a chamou pelo nome civil.

A militante acredita que de que esse mesmo funcionário tenha sido autor da rasura na ficha. Uma denuncia foi encaminhada ao Centro Municipal de Referência LGBT, que vai apurar o ocorrido junto à Secretaria Municipal de Saúde. Desde 13 de agosto de 2009 travestis e transexuais têm o direito ao uso do nome social nos serviços de saúde.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!