Pastor candidato à prefeitura de Salvador garante ser ex-gay: “Era um demônio”

pastor-ex-gay-pheeno-capa

Em terceiro lugar em pesquisas feitas, o deputado estadual Pastor Sargento Isidorio (PDT), conhecido como Doido, vem fazendo sucesso e muita polêmica na capital baiana. O motivo?! Deputado por três mandatos, o segundo mais votado da Bahia em 2014, o candidato se diz um “ex-gay”.

Segundo o deputado, a sua “fase gay” aconteceu devido a um episódio de abuso sexual de que foi vítima quando era criança e, depois, ao uso de álcool e drogas em excesso. E explica ter se livrado dos “vícios” — termo que usa inclusive para classificar sua orientação sexual na época — há 23 anos. “Eu estava gay, sim. Já queimei rodinha e rosquinha, queimei tudo, mas o que interessa é que Jesus mudou a minha vida”, conta o deputado, hoje pastor evangélico: “Agora eu sou pastor, mas eu era um demônio”.

Apesar disso, Isidorio garante não ter nenhum preconceito com os LGBTs. “Moro no meio de vários meninos alegres e entre meninas que gostam de botar aranha com aranha. Sem homofobia, sem violência, porque a Constituição garante direito a todo mundo”. Evangélico, o deputado conta que já foi do candomblé e incorporou cantos e danças em seus eventos de campanha.

Sem atos performáticos, diz, não consegue votos na capital baiana. “Fiz e faço teatro até hoje, senão não ganho voto. E danço batendo uma perna na outra. Quem não tem dinheiro conta história”, conclui.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!