Glória Groove fala sobre ativismo, “out of drag” e promete música farofa para o verão

gloriagroove

Dona mesmo! Tivemos o prazer de encontrar a drag queen Gloria Groove durante show realizado na festa Hangover no sábado (15/10), em São Paulo. A cantora sacudiu a turma que marcou presença na edição a fantasia da festa, no Estação Marquês, com sua turnê “Império Tour” e bateu um papo com o Pheeno no camarim. Confira:

Pheeno: Você tá arrasando no clipe de “Império”, parabéns! Diferente de outras drags que se jogaram no mundo da música, você faz músicas com pegada ativista. A Glória Groove nasceu para ter essa voz política?!

Glória Groove: Como a nossa arte transcende muitas barreiras, é revolucionária. Não é uma coisa que as pessoas estão acostumadas a ver, principalmente no meu formato – uma drag cantando. Então, minhas letras são uma plataforma para trilhar esse caminho de uma forma sincera e grata a tudo que veio antes e a tudo que virá depois. Não me imagino fazendo essa trajetória de forma diferente.

Pheeno: Estão nos seus planos outros tipos de letra, mais pops e voltadas para o entretenimento?

Glória Groove: Sim, está por vir! Vocês ainda vão ouvir a Glória Groove com uma pegada menos política e mais farofa! Mas eu escolhi primeiro investir nas músicas com esse foco por uma questão de respeito. Eu apareci e muita coisa aconteceu na minha carreira muito rápido (tenho somente dois anos de drag, sou uma “baby drag”). Por isso eu quis chegar com humildade na cena. Queria que as drags mais veteranas pensassem “ok, ela está chegando mas sabe respeitar a cena e está tentando galgar espaço para nós, não somente para ela”.


#ImpérioTour #HANGOVER ????

Um vídeo publicado por Gloria Groove (@gloriagroove) em

Pheeno: Muitas drag queens comentam que, ao começarem a se montar, elas sentem que seu eu “out of drag” acaba ficando apagado. Já você, tanto no clipe de “Dona” quanto no de “Império”, aparece tanto montada quanto como Daniel. Por quê essa mistura?!

Glória Groove: Eu escolhi isso porque, na verdade, o Daniel se encontrou depois que a Glória Groove nasceu. Eu tinha referências artísticas muito fortes na minha cabeça, mas como eu ainda não conhecia a “ferramenta drag”, não conseguia colocar em prática. Quando descobri o universo drag, isso abriu uma caixinha na minha cabeça e eu pensei “vou colocar aqui tudo que eu quero colocar em prática, vou pintar no meu rosto o melhor quadro de mim, do que eu sinto e do que eu penso”. Então, começar a me montar me libertou e ajudou a me encontrar. Antes da Glória, eu estava num limbo “ser gay, cantar bem, mas não querer ser sertanejo e fingir ser hétero pra ganhar dinheiro”. Eu queria fazer o que eu gosto, fazer uma coisa sincera. A graça de ser artista é justamente ter várias caras e eu adoro brincar com gênero fluido, mas confesso que não sinto muito a coisa do personagem. Eu acho que o Daniel é a Glória, da mesma forma que a Stefani Germanotta é a GaGa, sabe? É só o jeito que as pessoas chamam no palco.

Pheeno: Nas suas letras você canta sobre empoderamento LGBT, principalmente drag, com versos que dizem “lembra dos ‘cara’ achando que consumação paga peruca?”… Como você enxerga a valorização dessas artistas no cenário atual?

Glória Groove: Eu acho que nós estamos caminhando para uma valorização cada vez maior. Cada vez mais as drags estão se provando multifuncionais! A drag consegue fazer de tudo e, principalmente, se misturar com qualquer tipo de arte. Você vê drags DJs, modelos, youtubers, caricatas, cantoras, atrizes e por aí vai. Essa nossa capacidade de mesclar as diversas artes é incrível e vai levar a valorização da nossa arte, do jeito que a gente merece!

gloriagroove2Pheeno: Quais são suas drags nacionais preferidas?! E suas inspirações?!

Glória Groove: Eu sempre admirei muito a Marcia Pantera, uma pessoa maravilhosa. Quando comecei a me montar, conheci o Ikaro Kardoshi, que se tornou minha mãe drag. Um exemplo não só de artista, mas também de ser humano incrível, amo de paixão! Alexia Twister eu também admiro demais, demais, demais! E caramba, todas as minhas minhas amigas drags, eu me inspiro muito nelas. Nós somos muito espelho uma da outra, principalmente o grupo que começou na mesma época, como eu, Duda, Charlotte, Sasha, Kira, Amber, Mary Onnet… A gente se comunica, fala a mesma língua e conversa todos os dias. É muito gostoso se inspirar nas suas amigas!

Pheeno: O que podemos esperar nos próximos episódios da carreira de Glória Groove?!

Glória Groove: Acabamos de começar a “Império Tour”, então estou me jogando de cabeça! Quero fazer muitas cidades, voltar nos lugares que eu fui e fazer acontecer. Mas em breve vai sair um projeto completo, um EP com várias músicas e uma pegada diferente. O próximo single já vai ser mais farofa, uma música de verão, que vai sair até o fim de ano. Vocês vão ver uma nova fase da Glória Groove! O EP completo deve sair, provavelmente, no ano que vem. Não quero dar uma previsão exata pois quero que seja perfeito. Quando não tiver mais nada para mudar, vai estar pronto! 😉

Confira trechos do show de Glória Groove na festa Hangover…



Apaixonado por Comunicação, Marcelo Haubrich é editor do Pheeno e também responsável pelo marketing e redes sociais do site! Além disso, o carioca de 25 anos acumula diversas funções na noite brasileira: designer, produtor, DJ, entre outras.

Comentários no Facebook