Policial suspeito de matar travesti na PB confessa que “matou por não gostar de homossexual”

Um sargento reformado da Polícia Militar da Paraíba foi preso nesta terça-feira (11/07) suspeito de matar uma adolescente travesti de 16 anos. O crime ocorreu na cidade de João Pessoa, no último sábado (08/07). Na delegacia ele afirmou que “matou por não gostar de homossexual”, segundo informou a Polícia Civil ao G1.

O crime ocorreu em uma praça do bairro Funcionários II, em João Pessoa, onde segundo informações da Polícia Civil, o sargento reformado da PM estava bebendo, quando a adolescente se aproximou dele. O sargento teria levantado da mesa, sacado a arma e atirado várias vezes contra a vítima, que morreu ainda no local.

Depois de cometer o crime, o sargento teria fugido da cidade. Ele foi preso na casa de um parente na cidade de Teixeira, com a ajuda de uma denúncia anônima. O policial foi levado até a Central de Polícia de João Pessoa, para prestar depoimento, e confessou que o crime foi motivado por homofobia.

Por ser policial militar, o sargento foi encaminhado para o 1º Batalhão da Polícia Militar, no Centro de João Pessoa, e, nesta quarta-feira (12/07), será apresentado ao juiz na audiência de custódia. Segundo relatos, a adolescente militava contra a homofobia e transfobia, e o sargento já possui um histórico de agressão a homossexuais.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!