L’Oréal demite modelo trans por não representar os valores da marca; entenda

Reprodução/Instagram

A ativista trans e modelo Munroe Bergdord foi desligada da L’Oréal UK depois de fazer comentários sobre racismo no Facebook. A participação da modelo na campanha “True Match”, que tinha uma maior variedade de tons, sinalizava um passo à frente no mercado de beleza, já que Munroe é negra e trans.

“Honestamente, eu não tenho mais energia para falar sobre a violência racial das pessoas brancas. Sim, de TODAS as pessoas brancas”, escreveu ela em um post que foi deletado pelo Facebook. O fato tomou grande repercussão, e a conta oficial da L’Oréal do Reino Unido no Twitter informou o fim do vínculo com a modelo: “L’Oréal é campeã da diversidade. Comentários de Munroe Bergdorf estão em desacordo com nossos valores, e por isso decidimos terminar nossa parceria com ela”.

Pelo seu Facebook, Munroe explicou que as frases foram “tiradas de contexto”, e que se referiu aos ataques racistas ocorridos em Charlottesville há algumas semanas. “Sem saber, pessoas brancas são socializadas para serem racistas a partir de seus nascimentos. Não é algo genético. Ninguém nasce racista”, escreveu. Em seguida, a modelo também propôs um boicote à L’Oréal.

“Esta marca de maquiagem não se preocupa com nada além de dinheiro. Eu convoco vocês a boicotar a L’Oréal Paris. Não consigo expressar como estou desapontada com todo o time em lidar com frases que foram completamente tiradas de contexto”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!