Professor australiano é demitido após alunos descobriram que ele é gay

Uma foto postada no Facebook provocou a demissão de um professor australiano. A justificativa foi que a postagem era sugestiva, pois dava indícios de que Craig Campbell é gay. O caso ganhou repercussão internacional e está provocando um grande debate: será que escolas, principalmente as religiosas, têm o direito de discriminar as pessoas com base na sua sexualidade?

Após os comentários feitos pelos alunos acerca da “polêmica” foto, Craig confirmou que estava em um relacionamento com uma pessoa do mesmo sexo e, depois disso, foi removido do quadro de funcionários sem aviso prévio. O professor já trabalhava há três anos no local. Segundo o portal australiano “The West”, o diretor do colégio, Des Mitchell, diz que Craig sempre foi amado e respeitado pelos funcionários, estudantes e pais, mas nesse momento a escola entende que relacionamentos envolvem apenas um homem e uma mulher, mesmo compreendendo e respeitando a orientação do rapaz.

“Os jovens são naturalmente inquisitivos”, afirma Des. “A imagem que publicou criou interesse na vida pessoal dele, incluindo a questão da sexualidade. Eu compartilhei com ele que, no momento, há uma inconsistência nas crenças que ele possui sobre a sexualidade e as crenças de nossa instituição”, completa.

O Governo do Estado recentemente procurou aconselhamento jurídico para entender se as isenções religiosas – que permitem que as escolas discriminem professores ou alunos com base em sua sexualidade – devem ser removidas da Lei de Igualdade de Oportunidades da Austrália.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!