Religiosos barram projeto pró-LGBT de Marielle Franco

Numa sessão destinada à votação de seis projetos de lei da vereadora Marielle Franco (PSOL), três propostas que tratam de questões de gênero e sexualidade sofreram, nesta quinta-feira (02/05), resistência da bancada religiosa.

O projeto relacionado à luta contra homofobia, lesbofobia, bifobia e transfobia, no entanto, foi adiado. Já as propostas que tratam da realização de uma campanha permanente contra a violência sexual e a da criação de um terceiro turno em creches para atender a pais que trabalham à noite podem ser aprovadas em uma segunda discussão, porém com emendas dos religiosos retirando qualquer referência à questão de gênero.

Ao jornal O Globo, O vereador Cláudio Castro (PSC), ligado à Igreja Católica, afirmou que há uma discussão muito centrada em apenas uma camada da população que sofre preconceito. “Hoje, existe uma discussão muito concentrada em uma camada da população que sofre discriminação. Esse debate tem que ser ampliado. Existem outros preconceitos, como o contra gagos” exemplificou.

As outras três propostas foram aprovadas: a inclusão do Dia de Thereza de Benguela ao Dia da Mulher Negra, em homenagem à lider quilombola; a criação do Dossiê Mulher Carioca, para auxiliar a formulação de políticas públicas voltadas à saúde da mulher; e a efetivação de medidas socioeducativas impostas pelo Judiciário para adolescentes infratores.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!