Mãe e padastro matam filho de 10 anos após ele dizer que gostava de meninos

Mais um caso horrendo de homofobia chocou a população dos Estados Unidos. Desse vez, a polícia de Los Angeles investiga a morte de um garoto de 10 anos que teria sido torturado e em seguida assassinado pelo padastro e pela própria mãe após dizer que “gostava de meninos”.

Na semana passada, o Departamento de Polícia da cidade teria atendido a um chamado de emergência na casa de Heather Barron. Ao chegar lá, a mulher alegou que seu filho, Anthony Avalos, havia sofrido ferimentos ao levar uma queda. De acordo com as autoridades, a criança tinha lesões e marcas de cigarro no corpo, indicadores das sessões de tortura ao qual o mesmo era submetido. O garoto chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

Os dois, inclusive, já haviam sido denunciados por abuso infantil em pelo menos 16 ocasiões desde 2013. Desse total, 13 queixas tinham como vítima Anthony. As outras foram praticadas nos demais filhos do casal. O diretor do Departamento de Serviços para Crianças e Famílias da Cidade norte-americana, Brandon Nichols afirmou que a criança havia dito que “gostava de garotos” semanas antes de morrer. Os investigadores analisam se a homofobia foi um fator determinante para o crime.

Ainda de acordo com dados das autoridades, em 2013 a criança havia sido sexualmente abusada por um de seus avôs. Os abusos, no entanto, eram comuns na vida de Anthony e seus irmãos, segundo revelou Brandon ao site LGBT Nation. Nichols conta também que o casal negava alimentação às crianças, os espancavam, pendurava-os em uma escada de cabeça para baixo, obrigava os filhos a lutar entre si, além de forçá-los a comer do lixo.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!