Aretuza Lovi lembra de homofobia que sofreu do pai: “Vivi minha infância apanhando e sendo torturado”

Em alta com o lançamento do seu primeiro álbum de estúdio, intitulado “Mercadinho”, a drag queen Aretuza Lovi relembrou momentos difíceis e traumatizante na sua infância. Em um vídeo que vem circulando pela Internet, Arê revela agressões e torturas sofridas quando criança pelo pai homofóbico.

“Eu tive uma infância muito difícil ao lado do meu pai. Ele, percebendo que eu já era uma criança afeminada, começou a me repreender e me tratar com agressões desde muito pequeno”, lembrou a drag queen. Ainda no vídeo, Aretuza vai mais além e conta que as situações homofóbicas pioraram ainda mais com o tempo. Mas, apesar de tudo, Bruno, intérprete da queen, nunca se deixou levar pelo ódio.

Confira

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!