Depois de apoiar Donald Trump, Caitlyn Jenner lamenta perda de direitos de pessoas trans

Mesmo com todos os protestos de pessoas LGBT contra a candidatura de Donald Trump ao governo dos Estados Unidos, Caitlyn Jenner, que transicionou para o gênero feminino em 2015, insistiu em apoiá-lo durante as eleições de 2016.

Agora, já eleito, de acordo com o The New York Times, Trump pretende revogar o direito adquirido que permite a pessoas que troquema troca de gênero e de nome dos documentos oficiais. “Pessoas trans não serão invisibilizadas”, desabafou a mãe de Kendall e Kylie Jenner em seu Twitter. Seguidores, no entanto, fizeram questão de lembrar que ela apoiou a eleição de Trump. “Você não ligou para o racismo e o machismo dele porque não te atingiam. Agora você quer ajuda porque se sente da mesma forma que dissemos que ele te trataria?”, questionou um seguidor.

Como mostramos por aqui, o governo americano pretende definir as pessoas entre masculino e feminino apenas de acordo com seu órgão sexual ao nascer. Além disso, Trump já havia revogado o direito de alunos e alunas utilizarem o banheiro do gênero com o qual se identificam nas escolas. A medida foi autorizado no governo Obama, mas Trump cedeu à pressão de grupos conservadores.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!