Mais um acusado da morte da travesti Dandara dos Santos é julgado no Ceará

O sexto réu acusado de participar do assassinato da travesti Dandara dos Santos em fevereiro de 2017 vai a júri popular nesta terça-feira (23/10) em Fortaleza. Segundo o site Agência Brasil, Júlio César Braga da Costa será julgado por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima) e por corrupção de menores.

Os outros cinco denunciados pelo Ministério Público do Ceará (MP-CE) foram julgados e condenados em abril. Somadas, as penas chegam a 83 anos de prisão, sem o direito de apelar em liberdade. O promotor Marcus Renan Palácio, do Ministério Público do Ceará (MPCE), afirma que Júlio César deu dois chutes na cabeça de Dandara e a pegou pelos pés para jogar em cima do carrinho de mão. Para o representante da acusação, as agressões são suficientes para condenar o réu por homicídio.

Já a defesa do réu, representada pelo advogado Sérgio Ângelo, alega que o cliente não participou do assassinato e deveria ser condenado por lesão corporal gravíssima, o que reduziria a pena máxima de 30 para 8 anos. “A tese da defesa é negativa de autoria. Como mostra o laudo médico, a morte foi em decorrência do disparo de arma de fogo”, justifica o advogado.

Dandara, então com 42 anos, foi morta no dia 15 de fevereiro de 2017, no Bairro Bom Jardim, espancada e baleada. Os assassinos gravaram um vídeo que circulou nas redes sociais mostrando o ataque à travesti. Ela levou chutes, pauladas e foi transportada em um carrinho de mão a outro ponto da via onde recebeu tiros.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!