Apple remove de sua loja virtual aplicativo religioso que prometia “cura gay”

Sensata, a Apple removeu de sua loja virtual um aplicativo que prometia a mudança da sexualidade do usuário. Segundo informações do portal Tudo Celular, o aplicativo havia sido criado pela Living Hope Ministries, um grupo religioso do Texas, nos EUA.

De acordo com a publicação, o aplicativo tinha como objetivo proporcionar “um relacionamento mais íntimo com Jesus Cristo”. Na opinião do diretor executivo da empresa, Ricky Chelette, não se tratava de uma plataforma para pregar o ódio. “Acho uma pena que o grupo de advocacia não saiba o que nós fazemos. Assumiram que nós somos alguma organização de ódio. Nós não somos, nós amamos indivíduos que se identificam como gays. Tentamos ajudar as pessoas que estão em conflito entre sua fé e seus sentimentos, já estamos fazendo isso há bastante tempo”, afirmou o diretor da Living Hope Ministries.

Para Wayne Besen, diretor executivo da Truth Wins Out, organização que combate o extremismo religioso, a ação da Apple foi correta. “Nós agradecemos a Apple por servir de exemplo de responsabilidade corporativa. Tomou medidas rápidas para remover um aplicativo perigoso que estigmatiza e rebaixa a comunidade LGBT. Programas que convertem orientação sexual são fraudes. Causam danos significativos às pessoas que eles posam estar ajudando”, afirmou.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!