Gay abre processo contra o Grindr após ex-namorado se passar por ele no aplicativo

Matthew Herrick, um garçom e ator norte-americano, decidiu abrir um processo contra o Grindr após ser assediado pelo ex-namorado através do aplicativo de relacionamentos. O caso pode fazer com que o app mude a sua política de segurança.

Como forma de vingança, após Herrick decidir terminar o namoro, o ex resolveu criar perfis fakes e marcar encontros com outros homens pela plataforma usando o endereço da casa e trabalho de Herrick. Segundo a vítima, ele chegou a ter cerca de uma dúzia de homens por dia em seu endereço à procura de sexo. Cansado, Herrick abriu 14 boletins de ocorrência na polícia e entrou com um processo contra o app em 2017.

Esta semana o caso foi julgado no tribunal federal de apelações dos Estados Unidos. O Grindr espera se defender valendo-se de lei de 1996 que garante a liberdade de expressão on-line e que protege as empresas de qualquer responsabilidade. Por outro lado, segundo informações são da NBC News, os advogados da acusação utilizarão o mesmo argumento de eletrodomésticos defeituosos e que, nestes casos, as empresas são responsabilizadas pelos danos.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!