Transexual é morta a facadas em bar de Sorocaba; suspeita é de transfobia

Uma mulher transexual de 25 anos foi assassinada com golpes de faca, na madrugada deste sábado (16/02), após uma discussão em um bar na zona norte de Sorocaba (SP). De acordo com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Samira Moreno levou duas facadas na axila e teve uma parada cardiorrespiratória.

Ao G1, a presidente do Conselho Municipal LGBT de Sorocaba, Luciana Leme, afirmou que a motivação para o assassinato seria a transfobia. Segundo ela, os acusados insultaram a vítima por causa da sua condição referente à identidade de gênero. “Por três vezes os caras se referiram a ela como ‘traveco’, de forma pejorativa mesmo. Piada com o nome e com a condição de travesti, foi humilhante”, disse.

Samira então teria arremessado uma garrafa contra o homem, que saiu e, logo depois, voltou para atingi-la com golpes de faca. Uma equipe do Samu foi até o local e chegou a reanimar a vítima, que foi levada para o Hospital Regional, mas não resistiu aos ferimentos. O corpo de Samira Moreno já foi enterrado durante a tarde deste sábado (16/02), no Cemitério da Consolação.

Por meio de nota, o Conselho Municipal das Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgenêros (LGBT) lamentou a morte da jovem e disse que irá acompanhar a investigação da polícia a fim de esclarecer as causas do assassinato. “Apresentamos os nossos mais sinceros sentimentos aos familiares e amigos, ratificando todo o nosso empenho para que as causas sejam esclarecidas”, completa.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!