Mulher é presa por usar cartazes da Virgem Maria com cores da bandeira LGBT

Elżbieta Podleśna, uma mulher de 51 anos foi presa acusada “profanar” um dos símbolos católicos mais respeitado da Polônia, a Madonna of Częstochowa (título da Virgem Maria, padroeira da Polônia), pintando uma auréola de arco-íris LGBT em torno de sua cabeça e a do menino Jesus.

Após ser dada como suspeita de espalhar diversos cartazes da santa pela cidade, a polícia encontrou os mesmos materiais na casa da mulher e, logo em seguida, efetuaram a prisão. Objetos como celular, cartões de memória e notebook foram confiscados. Caso seja condenada, a polaca, que vai responder pelo crime de ofender o sentimento religioso nacional, pode pegar pena de até dois anos de prisão.

No Twitter, o ministro do Interior polaco, Joachim Brudziński, disse que o protesto da mulher é uma afronta às famílias polacas. “Estamos a lidar com um ataque direto à família e às crianças — a sexualização de crianças, de todo o movimento LGBT e do gênero”, disse. De acordo com a Lambda Warszawa, a mais antiga associação polonesa LGBTI, a prisão é apenas uma tentativa de intimidar as pessoas da comunidade LGBTI.

A Madonna Negra de Częstochowa é um símbolo bizantino adorado em toda a Polônia. A imagem está pendurada no mosteiro de Jasna Góra, patrimônio mundial da ONU e o santuário católico mais sagrado do país.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!