Gritos homofóbicos em estádio agora pode fazer o jogo ser suspenso

A direção da Federação Internacional de Futebol (Fifa) enviou nesta quinta-feira (25/07) comunicado para seus filiados informando que o protocolo contra atos discriminatórios, incluindo racismo e homofobia, terá que ser realizado em todas os jogos oficiais realizados pelo mundo, inclusive em campeonatos nacionais de clubes.

Como destaca o ​Blog do Marcel Rizzo, o árbitro de campo ficará responsável por avaliar e julgar comportamentos abusivos/excessivos que se manifestem nas arquibancadas. Caso observe algum tipo de ato discriminatório, deverá seguir três passos: 1) paralisar o jogo e aguardar que os alto-falantes do estádio solicitem o fim das manifestações preconceituosas; 2) casos os gritos sigam, esticar a paralisação podendo até mesmo retirar os atletas de campo; 3) suspensão definitiva da partida, em última instância.

Casos graves poderão ser analisados pelos tribunais desportivos de cada país, com clubes sujeitos à multa (pena mais branda), perda de pontos e mandos de campo. Durante a ​Copa América, a Confederação Brasileira de Futebol foi multada em R$ 57 mil por gritos homofóbicos dos presentes no Morumbi direcionados aos jogadores bolivianos, justo na partida de abertura da competição.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 22 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!