Atriz de ‘Supergirl’ Nicole Maines é uma heroína trans na ficção e na vida real

A heroína trans da vida real que o mundo precisa!

Nicole Maines, atriz do seriado Supergirl, vem preparando o caminho para uma nova geração de jovens LGBTs, tanto dentro quanto fora da tela.

Nicole fez história quando se tornou o primeiro super-herói trans na TV, mas, antes disso, ela foi, até então, a autora anônima no caso ‘Doe contra Clenchy’, na Suprema Corte Americana, que conquistou o direito de crianças trans usarem o banheiro da escola que melhor se adéqua à sua identidade de gênero.

A atriz interpreta a personagem ‘Nia Nal’, também conhecida como ‘Dreamer’, na aclamada adaptação do seriado ‘Supergirl’, da DC Comics para o canal de TV americano The CW, e vem usando sua voz para legitimar ainda mais a visibilidade trans.

Em um dos episódios da série, sua personagem combate um vilão transfóbico que a ataca, alegando que ‘Dreamer’ não é “o tipo modelo correto” para uma super-heroína. Uma reflexão da ficção sobre o que acontece no mundo real com pessoas trans, principalmente as mulheres trans.

“Há tantas pessoas que nem reconhecem que isso é um problema real, e pensam que somos apenas nós que criamos uma coisa fictícia para fazer as pessoas trans parecerem mais vulneráveis, mas confiem em mim, nós não precisamos ser mais vulneráveis, não estamos querendo ser assim. Queríamos trazer tanta honestidade e veracidade ao episódio, não para um fetiche macabro de mistério de assassinato, mas porque queríamos que as pessoas entendessem exatamente o que a comunidade trans está enfrentando. Espero que eles assistam ao episódio e entendam que isso não é mentira”, comenta Nicole.

Ao interpretar uma personagem assumidamente trans, a atriz sofreu muita pressão, “além de ser o primeiro super-herói trans, também foi meu primeiro grande papel como atriz. Sempre há uma pressão quando você interpreta um personagem trans, porque para mim parecia que ela estava refletindo o resto da comunidade, então, no começo, eu estava realmente nervosa”, revelou Maines.

Através da ‘Dreamer’, Nicole tem dado significado e representatividade para inúmeras crianças trans que assistem ao seriado e se tornaram fãs da personagem justamente por enxergarem em ‘Nia Nal’ uma grande inspiração para poderem ser quem realmente são.

“As pessoas me dizem que a ‘Dreamer’ lhes deu a coragem de se abrir com seus pais ou amigos. A personagem está mostrando às pessoas que elas podem se orgulhar de quem elas são e é incrível ver que isso realmente as afeta. Mas também vendo pessoas que não são trans dizendo: ‘Dreamer é minha personagem favorita no programa’. As pessoas amam e adoram, independentemente de sua identidade de gênero, porque isso não é tudo o que ela é. Há outras coisas para gostar nela além da identidade de gênero, e é isso que eu realmente amo nela”.

Porém, nem tudo são flores. Mesmo vivendo uma personagem que tem uma grande aceitação do público, Nicole enfrenta muita homofobia, transfobia e misoginia que ainda está muito enraizada na cultura ‘nerd pop’. “Algo que realmente me impressionou com isso é quantos fãs de quadrinhos foram muito, muito transfóbicos e disseram: ‘Oh Deus, um super-herói trans, deixe a política de fora dos quadrinhos’, e toda vez ouço ou leio algo do tipo eu penso: ‘Você é mesmo um fã de histórias em quadrinhos?’ Política e quadrinhos sempre se entrelaçaram, e super-heróis, especialmente, sempre estiveram no meio disso tudo” desabafa Maines.

Arquiteto, DJ, VJ, Produtor de Eventos e redator colaborador de conteúdos sobre diversidade LGBTI+ do portal Pheeno.com.br! #MandaAssunto