SC: 1º museu de experiências permanente do Brasil tem espaço dedicado à cultura LGBT+

Representatividade nunca é demais!

O ‘Fun Museu’, primeiro museu de experiências permanente do Brasil, tem um espaço com ilustrações de ícones da cultura LGBT+.

Baseado em um novo conceito de museologia, que tem se espalhado pelo mundo, o ‘Fun Museu’ é totalmente pensado para que o público possa interagir com suas instalações e compartilhar suas experiências nas redes sociais.

Juliana Haendchen

O museu fica em Balneário Camboriú (Santa Catarina) e foi totalmente idealizado para que seus visitantes tirem fotos e interajam com os ambientes, da recepção aos banheiros. Até os degraus da escada foram pensados para que sejam fotografados.

A inauguração do ‘Fun Museu’ aconteceu no dia 03/03 e conta com mais de vinte cenários, em um deles a cultura LGBT+ foi homenageada através de ilustrações do artista plástico Lark.

Lucian Ambrós

Lark pintou à mão desenhos de artistas como Freddie Mercury, Ney Matogrosso, Pabllo Vittar e Gloria Groove. Na mesma instalação há uma cortina de faixas com as cores do arco-íris, deixando o ambiente ainda mais interativo.

Aproveitamos para conversar com empresário Ricardo Ruas, idealizador e criador do museu (uma iniciativa 100% privada). Confira como foi nosso bate papo com o empreendedor:

Ricardo Ruas

De onde veio a ideia de um museu de instalações?
Em várias cidades do mundo já existem museus deste tipo. Eles seguem um novo conceito da museologia que agrega interação e entretenimento. Esta característica da experiência com selfies e compartilhamento nas redes sociais.

Quanto tempo entre a ideia de criar o museu e a inauguração?
Em junho de 2019 eu já tinha uma ideia, mas foi em outubro que eu decidi investir. Daí fui atrás do espaço para locação e a inauguração foi no dia 3 de março. Seriam, então, uns 4 ou 5 meses de planejamento e finalização.

Ricardo Ruas

De quem foram as ideias para os cenários?
“95% minhas. Uma agência de publicidade ajudou na finalização do projeto e uma diretora de arte na concepção final. Eu aproveitei minha experiência internacional e fui acumulando bagagem, referências, transformei isso nos cenários. A Josiane Silva (diretora de arte) complementou com elementos visuais, com ângulos e iluminação, afinal, o foco do Fun Museu é que as pessoas façam fotos e vídeos para compartilhar.

Quais são os artistas pintados por Lark?
Freddie Mercury, Prince, Ney Matogrosso, Glória Groove, Pabllo Vittar, Madonna, Lady Gaga, Rihanna, Beyoncé, Iza, Johnny Hooker e Liniker.

Como surgiu a homenagem à cultura LGBT+?
São 25 cenários e somente o do Lark tem assinatura. Surgiu porque naquele cenário a gente só tinha pensado na cortina de fitas coloridas. Como ficou muito branco em volta, o convidamos para olhar e ver se conseguia pensar em uma solução. Na hora ele topou e como tinha a referência das fitas nas cores do arco-íris, então resolveu desenhar artistas que tivessem uma ligação com a causa LGBT+.

Por enquanto o ‘Fun Museu’ está fechado, devido à pandemia, é possível saber mais sobre ele em seu site oficial e em suas redes sociais. Assim que a quarentena acabar ele estará de portas abertas no número 63 da Rua Gaturamo.

Arquiteto, DJ, VJ, Produtor de Eventos e redator colaborador de conteúdos sobre diversidade LGBTI+ do portal Pheeno.com.br! #MandaAssunto