Chucky, o ‘Brinquedo Assassino’, virou símbolo da luta LGBTQ+, diz criador

Criador da franquia “Boneco Assassino”, Don Mancini deu entrevista ao canal SyFy Wire e afirmou que Chucky se tornou “símbolo da luta por direitos LGBTQ+”.

“Nós abraçamos, com o passar dos filmes, uma identidade gay muito específica para a franquia. Eu acho que precisamos sempre estar atentos ao que está acontecendo na cultura, na sociedade, e usar Chucky para abordar esses temas de uma forma interessante e divertida”, afirmou o roteirista.

Na entrevista, Mancini, que é gay assumido, contou que no filme “Filho do Chucky” (2004), o casal de assassinos discorda sobre o sexo do filho. Chucky insiste em batizar o filho de Glen, enquanto Tiffany chama a criança de Glenda, por acreditar que se trata de uma menina. “Querida, seja uma boa menina. Ou um bom menino, o que quiser”, diz a mãe para Glenda na cena final do longa.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!