Artista independente lança versão gay de “Quando a Vontade Bater”, do rapper PK; assista ao clipe

Mesmo viciado na música “Quando a Vontade Bater”, do rapper carioca PK, o designer gráfico e produtor de eventos JP Marinho não se sentia à vontade de cantar a letra original do funk, “não conseguia cantar porque a letra é muito hétero e eu ficava desconfortável”. Então ele resolveu gravar sua própria versão do proibidão.

“Eu ficava num conflito interno porque, ouvia a música direto, o tempo todo, mas não gostava de cantar em voz alta, aí decidi fazer a minha versão, até porque a gente não vê muito funk com letras gays tão explícitas quanto vê com héteros”, falou o artista.

Com letra e vocais de JP aka JP, nome artístico usado pelo artista independente pra se lançar no mercado fonográfico, a música teve o instrumental totalmente refeito pelo produtor musical b o u t e chegou às plataformas de streaming em fevereiro deste ano. Porém, devido à pandemia, o clipe só foi lançado no último domingo, dia 07/06.

Surpreendido pelas regras de isolamento social impostas devido à COVID-19, o artista precisou se usar sua criatividade para poder, finalmente, tornar o clipe possível. JP aka JP fez tudo absolutamente sozinho, ele próprio foi quem idealizou, roteirizou, gravou e editou o vídeo. “Foi um clipe feito por uma pessoa só, na quarentena”, disse o cantor.

Como a nova letra relata atos sexuais de maneira explícita, o artista também divulgou uma versão do clipe para o Twitter (@akajp), com a participação de atores pornôs gays e criadores de conteúdo explícito na rede social. “É a versão gay de um hit com a letra bem hétero, vi que muitos gays se sentiram representados”, comentou JP.

Arquiteto, DJ, VJ, Produtor de Eventos e redator colaborador de conteúdos sobre diversidade LGBTI+ do portal Pheeno.com.br! #MandaAssunto