Morre lendária drag queen brasileira Miss Biá, vítima de Covid-19

Faleceu aos 81 anos nesta quarta-feira (03/06), em São Paulo, vítima da Covid-19, a lendária drag queen e ativista Miss Biá. Pioneiro da arte drag brasileira, Eduardo Albarella também era maquiador e costureiro.

Aos 21 anos, Albarella era office boy e morava com sua família no Brás. Foi depois de sair com amigas para assistir a um show em um cabaré na Av. Rio Branco que decidiu se montar pela primeira vez. “Não existia show de transformistas, mas eu fiquei encantado. Aí falei: ‘eu também quero fazer’”, disse o artista em entrevista ao G1, em 2017.

Com 60 anos de carreira, a queen enfrentou a ditadura quando a perseguição aos LGBTs era praticada pelo estado brasileiro. “Na ditadura era proibido homem se vestir de mulher. Então eu comecei a trabalhar de menino. Eu pequenininho, com uma blusinha rosa, fazia números com uma mulata que era vedete. Aí depois a censura liberou e eu voltei a trabalhar como mulher e tô até hoje”, contou. Alguém duvida que essa diva fará falta?! Continue brilhando, Biá!

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!