Após morte súbita, mulher transexual é enterrada como homem pela família nos EUA

Querendo somente o respeito pela sua identidade de gênero, a luta dos transexuais e travestis nunca foi fácil. O preconceito as vezes vem de onde menos imaginamos: de dentro de casa. Foi o caso da transexual Jennifer Gable, que morreu subitamente em serviço no último dia 9, vítima de um aneurisma aos 32 anos, de acordo com amigos próximos.

Amigos de Jennifer, que viveu os últimos anos como mulher e inclusive já havia mudado a documentação, se surpreenderam ao chegarem no velório e encontrá-la com o cabelo curto, vestida de terno e apresentada como Geoffrey, seu nome de batismo. Em seu obituário da casa funerária, ela é apresentada como Geoffrey Gable ao lado de uma foto antiga como homem, sem nenhum registro sobre sua mudança de identidade de gênero. “Geoffrey Chalres Gable, de 32 anos, morreu subitamente no dia 9 de outubro de 2014, enquanto trabalhava no banco Wells Fargo”, diz o texto, que menciona o casamento com a ex-mulher: “Ele casou com Ann Arthurs em 2005 no Havaí, e se divorciaram mais tarde”.

“Estou muito triste. Fui ao funeral de uma querida amiga, hoje. Eles cortaram o cabelo dela, vestiram de terno. Como que eles podem ter enterrado ela como Geoffrey, se ela mudou de nome legalmente? Muito triste. Jen, você fará muita falta e as pessoas que a conheceram sabem que estará em paz”, escreveu a colega Stacy Dee Hudson em sua conta no Facebook. A atriz do seriado “Orange Is The New Black”, Laverne Cox afirmou que a história é “assustadora”.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!