Juiz afirma que homofobia é uma “epidemia no Brasil”

10_5

O juiz André Augusto Salvador Bezerra, da 42.ª Vara Cível da Capital, afirmou que a homofobia é uma “verdadeira epidemia” no Brasil. Bezerra obrigou, liminarmente, o Metrô de São Paulo a pagar pensão mensal de R$ 2.232,54 à viúva do ambulante Luiz Carlos Ruas, assassinado a socos e pontapés por dois homens na estação Pedro II, em dezembro, ao tentar defender dois travestis.

“Ao que parece, fato que melhor será apreciado ao longo do processo, o falecido teve a coragem e, por isso, morreu, de enfrentar uma manifestação de verdadeira epidemia no Brasil: a homofobia”, assinalou o magistrado. Bezerra estipulou o valor a partir do correspondente ao rendimento médio do ambulante, segundo suas declarações de renda, e já deve ser pago a partir deste mês. Cabe recurso da decisão. As informações são do jornal “O Estado de S. Paulo”.

O Metrô se tornou réu porque, para o magistrado, como a morte ocorreu em uma estação da companhia, a responsabilidade pela segurança cabe a ela e que, por ora, o que se tem nos autos é a “notícia de uma falha na própria segurança oferecida”. Em nota, o Metrô afimou ao “Estadão” que vai se manifestar “após tomar conhecimento sobre o conteúdo da liminar”.

Os dois homens que confessaram ter matado Ruas, Ricardo Martins do Nascimento e Alípio Rogério Belo dos Santos, estão presos.

Alípio Santos e Ricardo Martins, que estão presos após morte de ambulante.
Alípio Santos e Ricardo Martins, que estão presos após morte de ambulante.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!