Governo anuncia adoção de pílula para prevenir HIV em grupos vulneráveis

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (24/05), que adotará a profilaxia pré-exposição (PrEP) contra o HIV para grupos de pessoas em risco. A estratégia envolve o uso diário do medicamento Truvada (uma combinação dos antirretrovirais tenofovir e emtricitabina) por pessoas que não têm o vírus.

O objetivo é proteger grupos que estão mais expostos ao risco de infecção, como profissionais do sexo, casais sorodiscordantes (quando um tem o vírus e o outro, não), pessoas trans e homens que fazem sexo com homens. De acordo com o ministro Ricardo Barros, a pasta já investiu na compra de 2,5 milhões de comprimidos de Truvada, o que deve ser suficiente para atender à demanda por um ano.

O medicamento deve estar disponível no SUS para esses grupos 6 meses após a publicação do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas, o que está previsto para ocorrer na segunda-feira (29/05), segundo o ministério. Para receber o medicamento, o paciente passará por uma avaliação para verificar o quão exposto ele está ao vírus HIV.

Especialistas alertam que esse tipo de estratégia deve ser aliada a outras medidas preventivas. Quem optar por adotá-la, por exemplo, deve ser aconselhado a continuar usando a camisinha, a fazer testes de HIV periodicamente e a tratar outras DSTs, que costumam deixar o paciente ainda mais vulnerável à infecção por HIV.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!