Projeto “Memória LGBT de Jundiaí” marca programação do Dia da Visibilidade Trans e Travesti na cidade

Na próxima segunda (29/01), Dia Nacional da Visibilidade Trans e Travesti, acontece o lançamento do Projeto “Centro de História Oral e Memória Social LGBT de Jundiaí”, a partir da 19h, nas antigas instalações do ‘Espaço Segundo Andar’ – primeira boate LGBT da cidade, em funcionamento entre os anos de 1987 e 1989.

Será um encontro multimídia com a participação de artistas LGBT’s atuantes na cena jundiaiense: projeções, exposição de objetos e fotografias, desfile, drags, e incluirá uma homenagem ao primeiro elenco de transformistas do Espaço Segundo Andar. O projeto é uma iniciativa do videasta Rodrigo Tangerino – contemplada pelo ProAC-2017, na
categoria “Manifestações Culturais com Temática LGBT” – e tem a finalidade de resgatar, registrar, organizar, analisar e disponibilizar, através de um banco de dados virtual, as memórias imateriais e materiais da Comunidade LGBT de Jundiaí.

Visibilidade Trans e Travesti

Dia 29 de janeiro foi escolhido como o Dia Nacional da Visibilidade Trans e Travesti em menção ao dia 29 de janeiro de 2004 quando – pela primeira vez na história do país – travestis e transexuais estiveram no Congresso Nacional, apresentando aos parlamentares brasileiros a realidade dessa população que até aquele momento só era vista ligada, necessariamente, à prostituição ou pessoas “anormais”.

Serviço

Lançamento do projeto “Memória LGBT de Jundiaí”
29 de janeiro, a partir das 19hs.
Prédio da antiga boate ‘Espaço Segundo Andar’
Avenida Dr. Cavalcanti, 341 – Centro – Jundiaí

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!