Daniela Mercury critica, durante show, a exclusão de peça com Jesus trans de festival

Uma das atrações do Festival de Garanhuns, em Pernambuco, Daniela Mercury aproveitou um espaço em seu show para fazer uma crítica a censura e aos políticos que adotam estas práticas. Tudo porque, a peça “O evangelho segundo Jesus – a rainha dos céus”, em que Cristo é interpretado por Renata Carvalho, uma atriz trans, foi retirada da programação do festival por um pedido da prefeitura, que alegou ser uma forma de “respeito à fé cristã”.

“A nossa constituição não é a bíblia. Eu sou católica e respeito o diferente. Nossa constituição nos permite sim lidar com símbolos religiosos e falar sobre eles. Principalmente num país católico. Eu falei com a Renata Carvalho (a protagonista da peça) pelo telefone. Ela está muito magoada. Como é que alguém tem a capacidade de oprimir uma pessoa?”, questionou a cantora.

“Não existe uma civilização na face da terra que não tenha sido construída sem as manifestações artísticas de seu povo. Não me venha agora com ignorância querendo conceituar o que é arte e o que não é arte. (…) Eu estou precisando muito de gente que não é careta. Está chato para caralh*, esse país”.

E continuou: “Eu senti vergonha pelos políticos que fazem isso com as pessoas. Antes de qualquer é desumanidade, maldade, ruindade. Desculpem meu amor pelas pessoas, não aceito ninguém maltratando ninguém. Ela é Jesus Cristo, sim. Jesus Cristo, eu estou aqui, sou gay, sou lésbica. E daí?”. Em seguida, a cantora continuou o show cantando Tempo Perdido, de Renato Russo.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!