Envolvido em morte de cabeleireiro gay é preso acusado de ameaçar testemunhas

A Divisão de Capturas do DHPP – Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoas – esclareceu que Jamerson Matos dos Santos foi preso acusado de ameaçar e coagir testemunhas do caso em que o cabeleireiro Plínio Henrique de Almeida Lima, de 30 anos, foi assassinado na avenida Paulista, no dia 21 de dezembro de 2018, por motivações homofóbicas.

Segundo informações do R7, Santos estava foragido da Justiça e na última segunda-feira (18/11), os policiais conseguiram prendê-lo em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela 1ª Vara do Juri de São Paulo, no último dia 25 de outubro. Apesar de estar envolvido no caso, inicialmente, Jamerson havia sido ouvido apenas como testemunha, já que quem matou o cabeleireiro foi Fuvio Rodrigues Matos, amigo do suspeito, e acusado de desferir um golpe de canivete na vítima após fazer insultos homofóbicos contra rapaz.

No entanto, segundo a polícia, Jamerson passou a ameaçar e coagir testemunhas do caso, e por isso, a Justiça acatou o pedido de prisão preventiva. Ele deverá responder pela prática de crime de homicídio qualificado.

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!