Casal cristão é impedido de adotar criança por acreditar que ser gay é pecado e processa lar adotivo

Um casal cristão australiano que acredita que ser gay é um pecado está levando um lar adotivo ao tribunal por “discriminação religiosa“, segundo informações do jornal inglês Daily Mail

Byron e Keira Hordyk, de Perth, fizeram um requerimento no Wanslea Family Services para se tornarem pais adotivos em janeiro de 2017. Uma avaliação formal foi iniciada e o casal, que tem seus próprios filhos, foi questionado sobre como reagiriam a um filho adotivo identificado como LGBTQ+. Em resposta, os Hordyks falaram abertamente sobre suas crenças cristãs devotas e indicaram que a homossexualidade é um pecado que pode ser resistido. O casal também sugeriu que poderiam ajudar a criança a superar sua sexualidade, acrescentando que suas crenças não impediriam sua capacidade de cuidar de um filho adotivo. 

Em setembro de 2017, os Hordyks receberam uma carta de Wanslea dizendo que sua inscrição foi negada porque não cumpriam uma das cinco competências definidas pelo Departamento de Comunidades para cuidadores adotivos – proporcionar um ambiente de vida seguro. O caso do casal será ouvido pela presidente do Tribunal Administrativo do Estado, juíza Janine Pritchard, no próximo mês. o lar adotivo tentou fazer com que o caso fosse arquivado.  

Sentimos que fomos discriminados e também sentimos que se ficassemos calados diante disso, poderia prejudicar ou limitar a promoção de qualquer pessoa com os mesmos valores cristãos que os nossos“, disse Byron ao The West Australian. ‘Temos pontos de vista cristãos tradicionais sobre como a Bíblia nos ensina sobre sexualidade e casamento.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!