Comissário processa companhia aérea após ser demitido por beijo gay: “Não devemos ser discriminados”

Um ex-comissário está processando a China Southern Airlines por demiti-lo depois que sua orientação sexual foi divulgada sem seu consentimento no ano passado após o vazamento de um vídeo pessoal em que aparece beijando um outro homem.

 O homem, de sobrenome Chai, que se recusa a usar seu nome completo em aparições na mídia, levou o caso a um tribunal na cidade de Shenzhen, no sul da China, na segunda-feira (02/11). Desde que o vídeo vazou, em outubro de 2019, a companhia aérea suspendeu Chai por seis meses e cortou seu salário, disse o advogado do rapaz, Zhong Xialu. Segundo o ex-comissário, ele recebeu cerca de 10% de seu salário enquanto estava suspenso. A companhia aérea também se recusou a renovar seu contrato de cinco anos.

Chai, que trabalhava para a companhia aérea desde 2015, disse que está triste por perder o emprego que amava. “Não quero que mais ninguém como eu seja tratado desta forma. Acho que realmente represento um trabalhador muito, muito comum, mas apenas aquele que por acaso é uma minoria sexual. Não devemos ser discriminados, não devemos ser oprimidos e receber este tratamento injusto, é por isso que estou protestando”, disse ele.

A companhia China Southern Airlines é propriedade direta do governo, que não emitiu nenhuma nota a respeito do ocorrido. “Eu entendo o que significa para mim ir contra uma empresa tão grande, lutar pelos meus direitos”, acrescentou. “Isso significa que nunca mais poderei fazer o trabalho que amo, pelo menos não na China”, lamenta Chai.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!