Mulher trans é agredida com mordida e cano de metal durante campanha eleitoral em São Paulo

Uma apoiadora e funcionária da campanha de Erika Hilton (PSOL), candidata à Câmara Municipal de São Paulo, foi agredida com mordidas e golpes de bastão de metal nesta terça-feira (10/11). Patricia Borges, de 30 anos, que é uma mulher transexual, estava panfletando em frente ao shopping Center 3 quando foi agredida.

Segundo reportagem da Folha de São Paulo, a vítima contou que entregava os panfletos quando uma mulher reagiu agressivamente à sua abordagem. “A moça não quis pegar o panfleto e então eu reforcei: ‘olha, tem importância, é uma mulher trans, preta, travesti, vamos mudar a estrutura de poder’. Ela respondeu: ‘eu não, cambada de viado, tem tudo que morrer’. Ela se dirigiu dessa forma a mim e à Erika“, conta Patricia.

Logo em seguida, a mulher voltou acompanhada de dois homens e carregando um bastão de “pau de selfie”. Eles puxaram seu cabelo e a mulher bateu nela com a vara e a mordeu, detalha Patricia ao Folha. “E o namorado dela ainda ficou falando ‘Olha para você e olha para a minha namorada’. E ela falava ‘Sou gostosa, sou buc***’”, disse a vítima. “A Erika já tem sofrido ataques há muito tempo. Minha agressão foi uma das coisas pelas quais temos passado. Ataques nas redes também. As pessoas não querem que uma travesti chegue ao poder“.

Uma viatura da Polícia Militar próxima do local interviu, mas se recusou a prender a agressora em flagrante por crime de transfobia. Eles apenas pegaram os dados da agressora e informaram que ela será chamada a depor.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!