Carioca revela descaso com pretos gays HIV+: “Brancos tem acesso a PrEP, já nós estamos morrendo”

Conversamos com o estudante carioca Lázaro Silva, de 30 anos! Ele vive com HIV há 9 anos e revela que, após o diagnóstico positivo, foi demitido da empresa que trabalhava porque “teria que ir muito ao médico por conta de sua nova condição“. Ele, então, entrou para o movimento de luta pelos direitos da população LGBTQ+ e HIV/Aids, onde encontrou acolhimento e a cultura da informação.

Aliás, essa é uma tecla que frisa bastante: é preciso melhorar as políticas que abrangem a população preta. Pois, segundo ele, enquanto brancos classe média tem acesso a PrEP, por se verem incluídos em ações de combate e prevenção, pessoas pretas muitas vezes não são alcançadas pelo poder público e acabam morrendo de Aids por falta de informação.

Confira

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!