Modelo é agredida ao vivo pelo chefe enquanto fazia live em que o acusava de transfobia

A modelo Jeniffer de Oliveira Pereira, de 25 anos, foi agredida pelo chefe, o empresário Helio Job Neto, enquanto fazia uma live em que o acusava de transfobia. Jeniffer trabalhava como vendedora na loja Fendior, no centro de São Paulo, há pouco mais de um mês. A marca, inclusive, é bastante conhecida entre o público LGBTQIA+

Em conversa com o portal Universa, a modelo conta que foi chamada para trabalhar na loja porque, segundo ela, o empresário queria ter uma equipe mais diversa de funcionários. “No começo, ele se mostrou bacana, mas com o tempo passou a fazer comentários do tipo: ‘E aí, traveco? Hoje você está parecendo mais mulher, né?’. Respondi que não queria ser humilhada daquela forma e pedi para ele parar”, conta Jeniffer ao portal. No entanto, Helio teria continuado com os comentários transfóbicos. Ainda segundo a modelo, no último domingo (18/07), ela chegou a ouvir um comentário racista vindo do patrão depois de aparecer para trabalhar com os cabelos cacheados. “Ele perguntou se ia trabalhar daquele jeito, com aquele cabelo. Me senti humilhada, mas continuei fazendo meu serviço“, lamentou.

Decidi encerrar o meu trabalho com a empresa porque não aguentava mais ser humilhada. E pedi para a gerente atender os clientes, mas nesse momento ouvi o Helio me chamando de folgada. Respondi que não aceitava ser tratada daquela forma e ele veio me bater. Foi quando comecei a gravar o vídeo“, conta a modelo, que passou a ser agredida pelo chefe enquanto fazia uma live para denunciar o caso. “Ele tentou puxar o meu celular, levei dois puxões no cabelo, dois murros, e depois ele e o pai ainda tentaram me prender no estoque, mas consegui fugir e saí gritando. Também chamei a polícia.”

Os três foram encaminhados ao 78º DP, nos Jardins. Jeniffer afirma que o chefe prestou depoimento de uma hora e meia na delegacia e foram dispensados e que o delegado não quis ouvi-la. De acordo com o Universa, consta no boletim de ocorrência que Helio informou que o desentendimento começou porque demitiu Jeniffer e, inconformada, ela teria exigido ali mesmo o pagamento de seus dias trabalhados. Após ouvir que só receberia no próximo dia útil, ela teria iniciado a live. A modelo afirma que retornará à delegacia com advogado para pedir que o caso seja investigado como transfobia e racismo. Assim como o perfil da loja, Helio fechou sua conta no Instagram após o episódio.

Confira

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!