Morte de jovem gay brasileiro na Espanha causa comoção e gera protestos por todo o país

O auxiliar de enfermagem Samuel Luiz Muñiz, de 24 anos, foi espancado até a morte na madrugada de sexta para sábado em La Coruña, na Espanha, causando uma forte comoção e onda de protestos contra a homofobia no país. Na segunda (04/07), milhares de pessoas saíram às ruas de Madri, Barcelona e outras cidades para manifestar sua indignação. Samuel nasceu no Brasil e chegou à Espanha com um ano de idade.

Em entrevista ao jornal espanhol El Mundo, Lina, amiga de Samuel que testemunhou o crime, os deixavam a boate pouco antes de 3h da manhã para fumar e fazer uma videochamada para Vanesa, namorada de Lina. Em determinado momento da conversa, eles foram intimidados por um jovem que passou acompanhado por uma mulher, e reclamou que estava sendo filmado. “Ou pare de gravar ou mato você, viado“, teria dito o agressor, recordou Lina a publicação. Logo em seguida ele foi agredido com um soco no rosto. A amiga e um  jovem desconhecido teriam conseguido separar e parar o agressor.

Pouco depois, o mesmo homem voltou com um grupo de mais de dez pessoas, que o espancou até a morte. Os agressores fugiram antes de a equipe de socorristas chegar ao local. O pai de Samuel, Maxsoud Luiz, deixou uma mensagem escrita, na qual agradeceu os serviços de saúde “por todo o esforço feito”, expressando a dor da família porque “levaram embora a única luz que iluminou a nossa vida“. O ministro do Interior espanhol, Fernando Grande-Marlaska, indicou que até o momento ninguém havia sido preso e que “nenhuma hipótese está excluída, nem o crime de ódio, nem qualquer outro“.

Ocorrido em plena Semana do Orgulho, o caso revoltou o país, e milhares de pessoas se reuniram em diversas cidades nesta segunda-feira, de Madri a La Coruña e Barcelona.”Não são espancamentos, são assassinatos“, gritava a multidão. Nas redes sociais, mensagens de solidariedade eram postadas com a hashtag #JusticiaParaSamuel. “Foi um ato selvagem e cruel. Não vamos dar um passo atrás em direitos e liberdades. A Espanha não vai tolerar isso”, afirmou Pedro Sánchez, primeiro-ministro da Espanha, em uma rede social.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!