Indianara Siqueira é espancada em bar da Lapa ao defender amiga de assédio: “Tomei socos e coronhadas”

Fundadora da Casa Nem, espaço que abriga pessoas LGBTQIA+ em situação de rua e vulnerabilidade social no Rio de Janeiro, a ativista transexual Indianara Siqueira denuncia ter sido espancada por um homem em um bar da Lapa, no último dia 7 de agosto. A ex-candidata a vereadora conta que foi agredida ao defender uma colega que sofria assédio no local.

Quando perceberam que ela [a amiga] era trans, começaram a ser transfóbicos. Ela me contou o que estava acontecendo e fui defendê-la. Acabei tomando dois socos, coronhadas e desmaiei. Alguns amigos se meteram e conseguiram me tirar do chão“, contou Indianara ao portal Universa, do UOL. A ativista diz que sofreu lesões no rosto e chegou a ficar desacordada. Enquanto estava desacordada, o homem teria furtado seu cartão de crédito e dois celulares. Indianara afirma que a agressão foi cometida por um homem conhecido na região da Lapa como ‘Pitbull‘. A ativista foi levada por amigos para a Casa Nem, no bairro do Flamengo, na zona sul do Rio, e em seguida para o hospital Souza Aguiar, no Centro.

Segundo a advogada Paula Alves, Indianara foi vítima de roubo com emprego de violência e grave ameaça. “O homem usou da força e lesão corporal para efetuar o roubo e praticar o crime. Além da importunação sexual contra a travesti conhecida como Dani, que é acolhida pela Casa Nem”, explica Paula. “A gente não pode se calar perante a LGBTfobia, perante essas agressões. A violência contra a mulher tem que ser denunciada, a violência contra LGBTs tem que ser denunciada. A gente não pode ficar com medo porque eles acabam sendo protegidos pelo nosso medo. O medo é natural, mas a gente tem que denunciar“, enfatizou Indianara.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!