Israel deixará de proibir doação de sangue por homens gays: “Um passo histórico para a igualdade”

O ministro da saúde de Israel, Nitzan Horowitz, anunciou nesta quinta-feira (19/08)  que a partir de 1° de outubro deste ano homens gays poderão doar sangue no país. Segundo o político, que é abertamente gay, a nova medida irá ajudar a quebrar um padrão preconceituoso envolvendo homossexuais.

“A discriminação contra gays nas doações de sangue acabou. Quando entrei no consultório, fui instuido a remover as perguntas degradantes e irrelevates do questionário de doações de sangue. Foi um resquício de um esteriótipo que pertence à história. Anos tentando se livrar dele e agora finalmente conseguimos. Não há diferença entre sangue e sangue. Mais um passo histórico para a igualdade das pessoas LGBT em Israel“, disse Nitzan em seu Twitter.

A partir de 1º de outubro, apenas as pessoas que “tiverem relações sexuais de alto risco com um novo ou vários companheiros” nos três meses anteriores estarão proibidas de doar sangue, sem distinção de orientação sexual, informou o ministério da Saúde em um comunicado. Até agora, os homens gays só podiam doar sangue após um ano de abstinência sexual. A legislação que bania a doação de sangue dos homens gays e bissexuais foi introduzida durante a década de 1980, quando ainda havia a associação direta entre sexo entre dois homens e a epidemia de HIV.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!