Chefe de cozinha fica ferido após sofrer agressão homofóbica em SC: “Falava que queria me matar por eu ser gay”

O chefe de cozinha Anderson Luiz Krall, de 31 anos, afirmou que a agressão que sofreu na madrugada de sexta-feira (03/09) foi motivada por homofobia. A vítima contou aos policiais que estava conversando com os amigos em um bar de Jaraguá do Sul, no Norte catarinense, quando um homem se aproximou e começou a discutir com ele, dizendo que não tinha gostado da conversa que ouviu.

Ele queria realmente me matar. Ele falava que queria me matar pelo fato de eu ser gay, pelo fato de eu estar ali, de ele ter se sentido incomodado. Foi homofobia total”, disse Anderson ao G1. O momento da agressão foi filmado por pessoas que estavam no local e divulgado nas redes sociais. O vídeo mostra ele, caído na rua, recebendo diversos golpes. O chefe de cozinha levou dois pontos próximo do olho e outros cinco na cabeça por conta dos golpes. Ele também foi ferido no olho e boca. A Polícia Civil abriu inquérito no domingo (05/09) para investigar o crime.

O suspeito foi identificado e as informações preliminares indicam que ele seria um advogado. Por isso, o caso também é acompanhado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). De acordo com o órgão, o suspeito da agressão seria advogado inscrito no Paraná. Em nota, a entidade lamentou o episódio e disse irá acompanhar as investigações.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!