Diretor de escola em SP é alvo de representação no Ministério Público por homofobia durante reunião com pais

O diretor do Colégio Liceu Jardim, em Santo André, no ABC paulista, é alvo de uma representação protocolada no Ministério Público de São Paulo (MPSP) por declarações consideradas homofóbicas durante uma palestra para pais. O documento foi protocolado pelo vereador de Santo André, Ricardo Alvarez (PSOL) e pelo deputado federal Ivan Valente (PSOL).

Em áudio obtido pelos parlamentares, o diretor Daniel Belluci Contro afirma que “ciganos, homossexuais, criminosos (PCC, crime organizado) se organizaram para atacar os valores da sociedade tradicional judaico cristã”. “Não existe homossexualismo (sic) no Oriente. Putin e o discurso nacional dele se posicionando contra a ideologia de gênero. China não permite a existência dos homossexuais. Oriente Médio, islã não tolera. O Ocidente entrou nessa, que é o projeto da escola de Frankfurt, destruir os valores ocidentais. Enfraquecendo e destruindo a família ficaria tudo mais fácil para fazer a revolução. A família transmite os valores, a propriedade”, continua Daniel.

De acordo com o portal Metrópoles, a representação pede que o diretor seja intimado para prestar esclarecimentos e investigado por “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. Os parlamentares também querem que o diretor seja condenado a pagar uma indenização por danos morais, cujo valor seria direcionado a entidades que defendem os direitos da população LGBTQIA+. Em nota, o MPSP informou que a promotora criminal de Santo André, Selma Iamani Bastos Pereira, recebeu a representação na terça-feira (09/11) e está analisando os documentos e informações.

Confira

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!