Honey, do The Voice, diz não se limitar a padrões de gênero: “Me entendi uma pessoa fluida”

Um dos integrantes no time de Iza no “The Voice Brasil”, o cantor Honey declarou se identificar como uma pessoa de gênero fluido e fora dos padrões.

As questões de gênero e sexualidade sempre foram pauta na minha vida. Com o amadurecimento, eu entendi e aprendi que internamente eu não me identificava com as padronizações de gênero impostas aos gêneros binários, me entendi uma pessoa fluida e não me restrinjo a nenhuma performance de gênero, sou como sou”, explicou Honey em entrevista ao jornal Extra. “Sofri e sofro preconceito desde a infância até os dias de hoje por ser alguém ‘fora dos padrões’, tanto no âmbito de gênero quanto na minha aparência. Já sofri agressões tanto verbais quanto físicas, tive pavor de expor para minha família e amigos como eu realmente me enxergava. No início foi bem difícil, mas o tempo foi passando e o respeito e o amor prevaleceram”, afirmou.

De barba, maquiagem, salto alto e roupas pra lá de brilhosas, o carioca afirma que essa é apenas uma extensão de quem ele é. “Quando decidi me empoderar das minhas singularidades, decidi nunca mais me esconder. Isso se reflete diretamente na forma como eu me visto e como eu me expresso! Roupas extravagantes e maquiagem para mim nunca foram uma maneira de chamar atenção ou me destacar, eu as utilizo pela liberdade de poder performar a minha personalidade da forma que eu quiser“, celebra.

Honey conta que canta desde a infância – começou a interpretar canções na igreja. No entanto, iniciou a carreira profissional na música no início da pandemia. “Minha família me incentiva muito a seguir como artista. Atualmente, trabalho em um pub no (bairro do) Leme (onde mora com um amigo). Não me sustento financeiramente com a música, mas esse é o plano“, ressalta. “Estou extremamente feliz e realizada, estar no programa sempre foi um sonho para mim. E, agora, estou de fato concretizando esse sonho“.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!