Miss Brasil Trans 2019 é presa por suspeita de dopar e roubar clientes durante programas

Mikaelly da Costa Martinez, de 25 anos, vencedora do concurso Miss Brasil Trans 2019 perdeu o título após ser presa neste domingo (28/11), em Ipanema, na Rua Farme de Amoedo, na Zona Sul do Rio. Ela é suspeita de gerenciar uma quadrilha especializada em roubar os clientes após aplicar o “Boa Noite Cinderela” durante programas sexuais. 

“A organização do concurso comunica que a miss de 2019, Mikaelly Zanotto, perdeu o seu título devido a conduta irregular perante a lei. A atitute isolada dela (caso único em 27 anos) não reflete a nossa filosofia de empoderamento e visibilidade positiva”, informou o Miss Brasil Trans nas redes sociais do evento.

Segundo as investigações, ela conversava com os clientes pela internet, marcava os encontros em um hotel e no local roubava os pertences das vítimas. “Ela dopava homens atraindo eles para programas sexuais ou às vezes até engando ser uma conquista sexual. Chegava no hotel surgia uma outra trans, que prometia participar da orgia. Ao homem era oferecida uma bebida e era colocado algum narcótico na bebida. Quando ele acordava já tinha tido seus pertences subtraídos etc. Transferências PIX realizadas“, explicou o delegado Leandro Gontijo, titular da 16ª DP.

Segundo informações do O Dia, em 2015, a acusada foi presa em flagrante por matar a travesti Verônica Bismark com um golpe de canivete, em Coxim (MS). No estado, Mikaelly tem 17 passagens pela polícia. Ela também é suspeita de outros crimes de roubo com o uso do “Boa noite cinderela” nas cidades de São Paulo, Florianópolis e Balneário Camboriú.

VEJA + NO PHEENO TV

Felipe é redator do Pheeno! Focado em explorar cada vez mais a comunicação em tempos de redes sociais, o carioca de 25 anos divide seu tempo entre o trabalho e a faculdade de jornalismo, sempre deixando espaço para o melhor da noite carioca!